Piracicaba / SP - quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Pele sensivel



PELE SENSÍVEL

 

 

 A pele delicada é diferente da pele reativa. A pele delicada há danos na barreira e ela permiti a penetração fácil de materiais irritantes e a reação inflamatória nao é forte e nem rápida e depende da concentração dada do irritante. A pele reativa pode ser menos permeável ao irritante , no entanto , pode causar uma forte resposta inflamatória. Os dois termos são altamente relacionados mas não são sinônimos . Daí se a pele é sensivel ou nao sensivel, se baseia na avaliação da barreira da pela delicada ou da hiper reação  tópica por irritantes. (9)

 

A definição de pele sensível  está perpetuamente em evolução em um estudo através de um questionario em uma população francesa a partir  dos 15 anos foi avaliado se o paciente tem a percepção de ter uma pele sensivel  e obseravaram que esse termo é muito bem reconhecido e este alto nivel de consciência foi apoiado por dois elementos de informação : a busca de um dermatologista está sendo mais freqüente e a proporção de doenças dermatológicas diagnosticadas. (8)

 

A fisiopatologia da pele sensível não é muito conhecida. Histologicamente há vasodilatação e infiltrado inflamatório. Há um aumento da perda de água , a barreira de permeabilidade se altera e irritantes se penetram na pele com facilidade. O extrato córneo saudável contem aproximadamente 15 a 20% de água. Quando o conteúdo de água é reduzido a 10%, resulta a formação de pele seca.O sistema nervoso deve estar envolvido pela  alterações da sensibilidade e vasodilatação . Provavelmente a  inflamação neurogênica é pela liberação de neurotransmissores como a substancia P, peptídeo calcitonina relacionado ao gene e peptídeo intestinal vasoativo que induzem a vasodilatação. Também foram associados com  liberação de interleucina ( IL) - 1, ( IL) - 8 , (PG) prostaglandina E2, PG F2 e fator de necrose tumoral ( TNF ) - alfa. (2). Embora em um outro estudo evidencia que as  citocinas e ecosanóides desmpenham um papel crucial na manutenção da homeostase e regulação do processo inflamatório da pele. Determinados tipos de células da derme e da epiderme produzem essas citocinas e ecosanóidesos as quais são reguladas por eventos fisiológicos e patológicos. A prostraglandina E2 (PGE2) tem um aumento gradual nos níveis teciduais da pele sensível à lesão da pele com dermatoses inflamatórias. O leucotrieno LTB4, a interleucina IL1, a interleucina IL6 e o fator de necrose tumoral TNF permaneceram  inalterados na pele sensível .(16)

 

A causa da pele seca é apenas parcialmente conhecida.  A barreira de permeabilidade reside no estrato córneo da epiderme  e requer de lipideos intercelulares como colesterol, ceramidas e ácidos graxos. (9) Numerosos estudos indicam alteraçôes na composição lipidica do extrato córneo e do metabolismo lipídico, especialmente as ceramidas. Outras observaçôes foram vistas nas alterçôoes na proliferação  e diferenciação epidermica e esses distúrbio afetam a diferenciação em dIferentes tipos de queratina a qual é a proteína principal de apoio da epiderme e cuja função está relacionada com a resistência mecânica dos corneócitos e queratinócitos. Outro dado importante é visto nas mutaçôes no gene que codifica a filagrina ,uma proteína da camada córnea.(2)

 

A secura da pele diminui com o aumento da idade causada por uma proliferação de células de queratinócitos e também por uma diminuição da produção de agua e lipídeos intercelulares  e redução  da secreção de lipídeos pelas glândulas sebáceas. Alem disso, a pele seca pode ocorrer no contexto de doenças da pele tais como dermatite de contato, dermatite atópica, dermatite seborreica, psoriase, ictiose, linfomas cutâneos, envelhecimento e em doenças sistêmicas como diabete melitus, doença da tireóide,doenças neurológicas e insuficiência renal . (2) Drogas sistemicamente administradas podem  também levar a pele sensivel, por exemplo o uso oral de retinoides  , assim como usuarios deboutros cosméticos  (2) (9)  e produtos de cuidados da pele muitas vezes relatam reações adversas que vão desde coceira e secura para intensas respostas inflamatórias, tais como eritema ou pápula e erupção cutânea. (1)

 

 

A pele sensível exibe uma alta resposta imunológica contra antígenos, sendo pre dispostos  à dermatite atópica, dermatite de contato, dermatite alérgica.(12)

 

A pele sensivel  tem sido classificada  em três tipos diferentes com base nos parametros fisiologicos. O tipo I é definido como o grupo de uma função baixa de barreira ,é o grupo da pele sensível simples com queixa queimação , prurido, formigamento ,sensação de aperto e são facilmente estimuladas por fatores exogénos. O grupo II é considerado o grupo com alterações inflamatórias que corresponde ao grupo das doenças dermatológicas como rosácea , dermatite seborreica, eczema, psoriase, dermatite atópica e acne.O tipo III é especificado como o grupo saudável  , com a função de barreira normal e sem alterações inflamatórias.(10)

 

Existem um amplo espectro de sinais e sintomas  que podem ser categorizados como pele sensivel. (4) Os sintomas da pele sensível são secura , ardor , prurido e eritema (1)

 

Há estudos que mostram a pele sensível  em  diferenças étnicas como exemplo a pele clara ser mais sensíveis ao sol , já outro estudo não mostrou diferenças significativas  entre Africano,asiáticos ,hispânicos e brancos.(2) O desenvolvimento de produtos tópicos concebidos para a pele sensível e étnica pode ser aconselhável para optimizar a actividade da droga com efeitos secundários mínimos. Além das diferenças étnicas na penetração transcutânea, a sensibilidade da pele individual e étnica pode desempenhar um papel importante na determinação a adesão do paciente e da eficácia terapêutica de medicamentos e cosméticos, portanto ,  é necessário então uma formulação de droga, considerando  a fisiologia da pele,  e com isso pode  ser impedido  indesejados efeitos adversos locais e gerais.(21)

 

 

Fatores psiquiátricos em pacientes com pele sensíveis como ansiedade, fobia, hostilidade, pode estar associada com a hipersensibilidade da pele humana.  Esses sintomas psicológicos devem ser observados e levados em  consideração no tratamento de pacientes com a pele sensível. (20)

 

O efeito dos hormônios masculinos e femininos na pele é superestimado,no ciclo menstrual há alterações na sensibilidade da pele, na menopausa a pele se torna mais seca e mais envelhecida.(2)

 

Fatores ambientais como frio,calor, umidade e vento afetam esse tipo de pele, como também uso de produtos cosméticos. (2) Em um estudo através de um questionário evidenciou que  frio ( 66 % ) e stress ( 61 %) são as causas mais comuns, seguidas pela exposição solar ( 51 %), vento ( 42 %), piscina ( 40 %), água quente do chuveiro (29%) , sabões (29%) , cosméticos (28%) , calor (28%) e poluição (18%).  Os locais mais afetados:  a face (85%), as mãos (58%) e os menos afetados, o couro cabeludo (36%), pés (34%), pescoço (27%), tronco (23%). (2)

 

Acreditava- se , até algum tempo atrás , que a função de barreira cutânea atingia sua maturidade por volta da 34 semana da gestação , porém dados recentes mostraram que ela continua a se desenvolver até 12 meses após o nascimento. O pH acido da superfície cutânea obervado em adultos e adolescentes (pH<5) tem efeito protetor contra micro- organismo. Nos recém nascidos ,e principalmente nos prematuros, a superfície cutânea possui pH com tendência a neutro, o que diminui significativamente a defesa contra excessiva proliferação  microbiana e pode promover maior perda de agua transdérmica, demonstrando alteração da função de barreira epidérmica. A imaturidade da sua barreira epidérmica provoca maior facilidade de ressecamento. Os lipideos epidermicos exercem importante função na manutenção da barreira epidermica e na integridade da pele,no récem nascido seu conteúdo lipidico é menor, mas o de agua é elevado. (20)

 

A pele é cada vez mais reconhecido como um componente da resposta imune inato, em adição ao seu papel como uma barreira física. Os efeitos deletérios da radiação solar ultravioleta (RUV) na pele são amplamente reconhecidos e inclui a imunossupressão e tumorogênese cutânea. Evidências mostram que mudanças podem ser induzidas na pele e  pode começar desde o primeiro verão quando bebê e  com isso mostra a importancia da proteção solar nos anos infantis e da criança. Apesar da natureza mais sensível do bebê e da pele da criança, pouco se sabe sobre as suas respostas à exposição ao UVR, seja aguda ou longo prazo. Evidências sugerem não só que a proteção de barreira da pele permanece imaturo durante pelo menos os 2 primeiros anos de vida, mas também que a acumulação de UVR  pode ocorrer mudanças induzidas na pele e  pode começar tão cedo quanto o primeiro verão da vida. Tal evidência não só afirma a importância da proteção solar durante os anos infantis e da criança, mas ressalta a necessidade de mais pesquisas para estabelecer padrões baseados em evidências de cuidados nesta área. (10)

 

Opções terapeuticas - A proteção solar deve ser suave e foi desenvovido uma formulação de um filtro solar mineral nao ocasionando irritação na pele  e  dois componentes que são inerentes à pele é o dióxido de titaneo e óxido de zinco com proteção em UVA e UVB (3).

 60% dos pacientes com pele sensível  sao aliviados com um emoliente lipidico. (1) (6)Nesses pacientes o objetivo é melhorar a barreira prejudicada bem como aliviar sintomas da pele seca  tais como rugosidade,descamação e ardor(6)

Um dos produtos de limpeza para pele sensível no caso rosácea que esta sendo estudado é a dimetilamonoetanol ( DMAE) o qual é suave e tem ação antiinflamatório atenuando o eritema. (5)

As vezes temos que utilizar substâncias irritantes em pele sensível e  em um estudo duplo cego em pacientes com pele sensível  ( acne, rosácea  e dermatite seborreica),  os autores estudaram a tolerância da pele nesses pacientes com sulfacetamida , enxofre e retinoides. Em um dos grupos foi usado o veiculo uréia 10 % comparado com um outro grupo com o veiculo Sódio a 10%. Nos pacientes que utlizaram o veiculo de uréia a tolerabilidade do medicamento foi melhor.(7)

Bases contendo niacinamida e N acetil glucosamina  são bem toleradas em mulheres com pele sensível ( rosácea e pele sensível étnicas) (12)e sem alterações inflamatórias.(10)

 

 A pele sensível possui uma ou mais das seguintes alterações anatómicas cutâneas: entrada neurossensorial elevada, capacidade de resposta imunológica melhorada, e / ou função de barreira diminuída. Considerações de produtos cosméticos e de cuidados da pele de formulação para pele sensível incluem produtos com uma escassez de ingredientes, a ausência de sensibilizadores comuns, o número mínimo de irritantes e ausência de estimulantes sensoriais ou vasodilatadores cutâneos.(15)

 

A pele sensível e freqüentemente associada com síndrome de intolerância à cosmético , que muitas vezes devido ao uso de sabão e produtos de higiene , cosméticos , protetores solares químicos não adequados  para o tipo de pele, causam formigamento, irritação ou sensação de queimação. (11)

 

 A dermatoscopia é uma ferramenta atualmente mais aceita para diagnosticar uma pele sensivel ,pois permite a visualização  das estruturas mais profundas da pele. A dermatoscopia e o microscópio de varredura confocal pode ser a escolha para a investigação  da pele sensível. No dermatoscopio se observa linhas curvas pigmentadas como " minhocas "  que sao capilares dilatados , é visto também  a rugosidade da pele e a espessura da epiderme pode ser medida. (9)

 

Referencias :

(1) Skin care regimen with emollients benefits patients with sensitive facial skin - Kumar Subramanyan,PhD, Antony Jhonson, PhD, Unilever Home & Personalidade Care, Trumbull CT, United States; James Leyden, MD, DDS, University of Pennsylvania, Department of Dermatology, Philadelphia, PÁ , United States. 725 AAD

 

(2) New insights into the pathogenesis of sensitive skin. Proksch E, Weidinger S, Hautarzt Dec 2011. 62 (12): 900-5 

 

(3)New insights about infant and toddler skin: implications for sun protection. The skin is increasingly recognized as a component of the innate immune.Paller AS, Hawk JL, Honig P, Giam YC, Hoath S, Mack MC, Stamatas GN, Pediatrics Jul 2011. 128 (1): 92-102 

 

(4) Evaluating topical preparations in individuals with sensitive skin.Journal of the American Academy of Dermatology. Volume 52, Issue 3, Supplement, March 2005, Pages P90

Supplement to the American Academy of Dermatology: Poster Abstracts

Poster Discussion Session 495—Pediatrics

 

(5) DMAE contributes to mildness of a facial cleanser designed for sensitive skin. Journal of the American Academy of Dermatology.Volume 50, Issue 3, Supplement, March 2004, Pages P81. Supplement to the American Academy of Dermatology: Poster

 

(6) Advanced moisturizers for dry sensitiveskin. Journal of the American Academy of Dermatology. Volume 52, Issue 3, Supplement, March 2005, Pages P66

Supplement to the American Academy of Dermatology: Poster Abstracts

Poster Discussion Session 495—Pediatrics

 

(7) A double-blind, comparative facial tolerance study of a new 10% sodium sulfacetamide & 5% sulfur aqueous gel (in a 10% urea vehicle) vs. a 10% sodium sulfacetamide & 5% sulfur topical suspension in rosacea & acne subjects with sensitive skin. -Journal of the American Academy of Dermatology. Volume 50, Issue 3, Supplement, March 2004, Pages P17. Supplement to the American Academy of Dermatology: Poster Abstracts.

 

(8) Sensitive skin: An epidemiological approach

Laurent Misery, MD, Hopital de Brest, Brest, France; T-F Nocera-Verierre, MD, Avene Laboratory, Lavaur, France; Eric Myon, PhD, Charles Taieb, Public Health, Quality of Life and Health Economics, Boulogne Billancourt, France

 

( 9) Mobile connected dermatoscope and confocal laser scanning microscope: a useful combination applied in facial simple sensitive skin.

Zha W, Song W, Ai J.

Source

Department of Dermatology, Zhejiang Chinese Medical University, Hangzhou, Zhejiang, China. Department of Dermatology, Hangzhou No.3 People's Hospital, Hangzhou, Zhejiang, China Department of Dermatology 1 - Int J Cosmet Sci. 2012 Apr 19. doi: 10.1111/j.1468-2494.2012.00726.x. [Epub ahead of print]

 

(10) New insights about infant and toddler skin: implications for sun protection.

Paller AS, Hawk JL, Honig P, Giam YC, Hoath S, Mack MC, Stamatas GN, Pediatrics Jul 2011. 128 (1): 92-102 

 

(11)Sensitive skin in the American population: prevalence, clinical data, and role of the dermatologist. 3- Misery L, Sibaud V, Merial-Kieny C, Taieb C, Int J Dermatol Aug 2011. 50 (8): 961-7 

 

(12) Facial foundation with niacinamide and N-acetylglucosamine improves skin condition in women with sensitive skin. Journal of the American Academy of Dermatology

Volume 60, Issue 3, Supplement 1, March 2009, Pages AB82

Poster Abstracts

American Academy of Dermatology 67th Annual Meeting

Deramtology/Cosmeceuticals

 

(13) A combined approach in characterization of an effective w/o hand cream: the influence of emollient on textural, sensorial and in vivo skin performance. Lukic M, Jaksic I, Krstonosic V, Cekic N, Savic S, Int J Cosmet Sci Apr 2012. 34 (2): 140-9 

 

(14) Prevenção e cuidados com a pele da criança e do recém-nascido/ Children and newborn skin care and prevention

Autor(es): Fernandes, Juliana Dumêt; Machado, Maria Cecília Rivitti; Oliveira, Zilda Najjar Prado de

Fonte: An Bras Dermatol; 86(1): 102-110, jan.-fev. 2011.

 

(15) Sensitive skin: perceptions, evaluation, and treatment. Draelos ZD.

Department of Dermatology, Bowman Gray School of Medicine, Wake Forest University, Winston-Salem, NC, USA.

Medline record details

Publication Type:Journal Article; Review

ISSN:1046-199X

Country:UNITED STATES

 

(16) Inflammatory mediators in normal, sensitive and diseased skin types.

Reilly DM, Parslew R, Sharpe GR, Powell S, Green MR. Biosciences Division, Unilever Research, Colworth Laboratory, Sharnbrook, Bedford, UK.

MEDLINE record details.

 

(17) Tendency to irritation: sensitive skin. Maibach HI, Lammintausta K, Berardesca E, Freeman S. Department of Dermatology, University of California, San Francisco 94143-0989.

MEDLINE record details

Publication Type:Journal Article; Review

ISSN:0190-9622

Country:UNITED STATES

 

(18) Vitamins and photoaging: Do scientific data support their use?

Jamie Zussman, MD, Jennifer Ahdout, MD, Jenny Kim, MD, PhD

published online 02 March 2010.

 

(19) Sensitive skin: a complex and multifactorial syndrome. Pons-Guiraud A. Department of Dermatology, Hôpital Saint Louis, Paris, France.

MEDLINE record details

Publication Type:Journal Article

ISSN:1473-2165

Country:England

 

(20) Psychiatric factors in patients with sensitive skin. Zafiriou E, Angelopoulos NV, Zintzaras E, Rallis E, Roussaki-Schulze AV. Department of Dermatology, University of Thessaly, Larissa, Greece.

MEDLINE record details

Publication Type:Journal Article

ISSN:0378-6501

Country:Switzerland

 

(21)  Sensitive and ethnic skin. A need for special skin-care agents?

Berardesca E, Maibach HI. Department of Dermatology, Policlinico S. Matteo, University of Pavia, Italy.

MEDLINE record details