Piracicaba / SP - quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Blefaroespasmo e toxina botulínica

      As distonias faciais mais freqüentes são o blefaroespasmo e o espasmo hemifacial. O blefaroespasmo é uma afecção adquirida das pálpebras, caracterizada por contrações tônicas espasmódicas do músculo orbicular, prócerus e corrugador dos supercílios. O blefaroespasmo  foi considerada durante muito tempo como uma manifestação de natureza psiquiátrica.sendo que atualmente está sendo vista como uma doença orgânica neurológica, com alterações no gânglio da base.

      O Blefaroespasmo surge principalmente em mulheres acima de 50 anos e geralmente é bilateral, sendo o quadro clínico progressivo, com aumento da freqüência de piscar e do tempo de oclusão palpebral durante o piscar, levando a dificuldades nas atividades diárias e até quadro de cegueira funcional.

     O blefaroespamos se difere do espasmo hemifacial pois esta doença também é  caracterizada pela contração involuntária e intermitente dos músculos da face mas  geralmente é unilateral e está  presente mesmo durante o sono.

    A toxina botulínica tem sido o tratamento de escolha e benéfico para o tratamento de blefaroesmpasmo. Quanto a dose aplicada  é 12,5 unidades de toxina botulínica  tipo A (Botox®)  ao redor de cada olho, 2,5 unidades por ponto de aplicação ( diluição da toxina:100 U/4 ml de soro fisiológico, com injeção de 0,1ml por sítio ) ou o Dysport (500U) sendo a diuição de uma ampola por 2,5 ml de soro fisiológico com injeção de 0,1ml por sitio. As injeções foram aplicadas na musculatura orbicular, na região imediatamente superior ao supercílio e na pálpebra inferior. No caso do espasmo hemifacial, também outros sítios são aplicados, conforme a necessidade de cada paciente.

    

Fontes - www.bireme.org

Botulinum toxin A in the treatment of blepharospasm: a 10-year experience Silveira-Moriyama, Laura; Gonçalves, Lilian R; Chien, Hsin Fen; Barbosa, Egberto RArq Neuropsiquiatr; 63(2a): 221-224, jun. 2005. ilus, graf.

Botulinum toxin in the treatment of facial dystonia: evaluation of its efficacy and patients' satisfaction along the treatment] Costa PG; Aoki L; Saraiva FP; Matayoshi S Arq Bras Oftalmol; 68(4): 471-4, 2005 Jul-Aug.

Botulinum toxin type A therapy for blepharospasm. Costa J; Espirito-Santo C; Borges A; Ferreira JJ; Coelho M; Moore P; Sampaio C Cochrane Database Syst Rev; (1): CD004900, 2005.

[Essential blepharospasm and hemifacial spasm: characteristic of the patient, botulinum toxin A treatment and literature review] Schellini SA; Matai O; Igami TZ; Padovani CR; Padovani CPArq Bras Oftalmol; 69(1): 23-6, 2006 Jan-Feb

 

Lacrimal film evaluation of patients with facial dystonia during botulinum toxin type A treatment]

Costa PG; Cardoso IP; Saraiva FP; Raiza AC; Tanaka LK; Matayoshi SArq Bras Oftalmol; 69(3): 319-22, 2006 May-Jun.

 Double-blind, randomized, comparative study of Meditoxin versus Botox in the treatment of essential blepharospasm. Yoon JS; Kim JC; Lee SY Korean J Ophthalmol; 23(3): 137-41, 2009 Sep.